Arquivo da Categoria: Livros

O Demônio e a Srta. Prym – Paulo Coelho

E2fcf4169c7e69c6b8f27178a723d05e9stava há um tempinho sem ler, e já estava querendo arrumar um livro novo para ocupar minhas idas e vindas do trabalho. Foi quando eu resolvi pegar esse para ler sem nenhum motivo específico, peguei aleatoriamente mesmo.

Mas, eu acabei de descobrir que esse é o terceiro e último livro de uma trilogia do Paulo Coelho chamada “E no sétimo dia…”. Os dois primeiros livros da trilogia são Na margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei e Veronika Decide Morrer, e por uma coincidência do destino (será coincidência?!) eu já li os dois!

Segundo a descrição do Paulo Coelho: “Os três livros falam de uma semana na vida de pessoas normais, que subitamente se vêem confrontadas com o amor, a morte, e o poder”.

Devo confessar que o “Na Margem do Rio Piedra…” eu li há tanto tempo que nem lembro a estória, mas eu sei que na época gostei desse livro. E o “Veronika…” já faz tempo que li também, lembro por alto a estória e o final foi surpreendente!

Eu não sei se isso acontece com vocês, sou meio avoada e nunca lembro dos nomes de personagens, de detalhes da estória, enfim.. rsrsrsrs

Sinopse do livro (extraída do site da Livraria Cultura):

Um estrangeiro, sem mais nada a perder, resolve propor um teste moral aos 281 habitantes da pequena comunidade de Viscos. Ele escolhe a jovem Chantal para servir de intermediária e dar ao povo a escolha de se tornar ou não cúmplice em uma trama perversa. A tranquilidade de todos será abalada quando se virem divididos pela cobiça, pela covardia e pelo medo. ‘O demônio e a Srta. Prym’ é uma história emocionante, um drama carregado de tensão que levanta questões sobre a força do destino e o papel de cada um de nós no teatro da vida.

O tempo todo no livro mostra essa luta entre o Bem e o Mal.  Que é uma escolha diária na vida de todo mundo, e falo escolha, pois todos temos o livre arbítrio de decidir se vamos seguir o caminho do Bem, que muitas vezes é mais difícil, ou o caminho do Mal.

E essas escolhas entre o Bem e o Mal varia desde as pequenas coisas, as pequenas maldades, os singelos gestos do Bem, a educação que temos pelo próximo, etc…

Enfim, tudo na vida são escolhas, e as consequências dessas escolhas que vão determinar como será a nossa vida. É como diz aquele ditado que diz: “A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória”.

Pois é, acredito nisso.

Anúncios

[Livro] A Ignorância – Milan Kundera

aignoranciaAcabei de terminar de ler o livro “A Ignorância” escrito por Milan Kundera. Esse é o segundo livro que leio desse autor, há alguns anos atrás eu li “A Insustentável Leveza do Ser”, um dos, ou se não, O livro mais famoso e conhecido desse autor.

Foi muito interessante eu ler esse livro tendo acabado de ler o Inverno de Praga, que fala justamente sobre a Tchecoslováquia no período de 2ª Guerra Mundial.

O livro “A Ignorância” fala sobre o problema da emigração do leste europeu, mais precisamente da Tchecoslováquia, dos dois personagens centrais da história, Josef e Irena, que se exilaram em outros países devido ao regime comunista que se instalou logo após o término da 2ª Grande Guerra. Os personagens tem uma história de exílio e um sentimento profundamente nostálgico em relação à paisagem tcheca após terem morado por 20 anos na Dinamarca (Josef) e França (Irena).

No livro, Milan Kundera aborda a questão da nostalgia de uma forma diferente. Ao relembrar a etimologia da palavra Nostalgia, que em sua origem grega remete ao “sofrimento causado pelo desejo irrealizado de retornar”, esse sentimento possui uma conexão muito íntima com a ignorância, quando o autor afirma que: só há nostalgia daquilo de que não temos mais notícia.

No livro, um casal se reencontra por acaso durante a viagem de regresso à terra natal. Cada um com suas memórias do passado, nostalgia, e a possibilidade de recuperarem uma história de amor que tinham apenas iniciado anos atrás.

Milan Kundera nasceu em 01/04/1929, em Brno, na Tchecoslováquia e se exilou na França a partir de 1975 por razões políticas.

Em 1950, ele e outro escritor tcheco – Jan Trefulka – foram expulsos do Partido Comunista Tcheco por “atividades anti-partidárias”. Em 1956, porém, Kundera foi readmitido no Partido Comunista. Em 1970, foi novamente expulso. Kundera, assim como outros artistas tchecos como Václav Havel, envolveu-se na Primavera de Praga de 1968. O período de otimismo, como se sabe, foi destruído no agosto do mesmo ano pela invasão soviética com exercito do Pacto de Varsóvia à Tchecoslováquia. Kundera e Havel tentaram acalmar a população e organizar um levante reformista frente ao totalitarismo comunista da União Soviética. Permaneceu neste intento até desistir definitivamente, no ano de 1975.

Vive na França desde 1975, sendo cidadão francês desde 1980. Seus romances geralmente tratam de escolhas e decepções. Em seus livros é recorrente a crítica ao regime comunista e à posterior ocupação russa de seu país, em 1968, quando foi exilado e teve sua obra proibida na então Tchecoslováquia.

[Eu li] Inverno de Praga

Estou terminando de ler o livro “Inverno de Praga – Uma história pessoal de recordação e guerra, 1937-1948”, de Madeleine Albright.

Madeleine Korbel Albright, nascida como Marie Jana Korbel, foi Secretária de Estado dos Estados Unidos, tendo sido a primeira mulher no cargo. Atualmente ela é professora na universidade de Georgetown. Nesse livro, a autora conta como descobriu sua origem judaica em 1997, e através de suas descobertas, ela relata suas experiências e as de sua família durante os doze anos mais tumultuados da história moderna, a 2ª (segunda) Guerra Mundial. Mais do que um simples relato sobre a 2ª guerra mundial, ela nos presenteia com a história da Tchecoslováquia, e sobre como o país viveu esse período conturbado, e as consequências do término da guerra. Eu recomendo esse livro, principalmente àqueles que gostam do tema, da Segunda Guerra Mundial, e a todos os amantes da história mundial.

Foi muito interessante ler e conhecer o que aconteceu nessa época na visão da Tchecoslováquia. A Segunda Guerra foi um período tão conturbado, que um simples relato nos livros de história da escola não são suficientes para entendermos o que aconteceu e os impactos da guerra no mundo.

Editora Objetiva

Lançamento: 01/06/2014

480 páginas